quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Sicreditouch. A conta jovem do Sicredi


Banner 468x60

Líderes realizam imersão em São Paulo e região do ABCD

Em dois dias, conselheiros e coordenadores de núcleos vivenciaram experiências singulares sobre a história do cooperativismo no estado de São Paulo, bem como, tiveram a oportunidade de encontrar fundadores da Sicredi na região do ABCD, e, entender melhor os primeiros passos do cooperativismo de crédito, na região. “Ao proporcionar o contato dos lideres com a realidade de São Paulo, a cooperativa permite um maior entendimento da história regional, bem como, a visão de oportunidades e do trabalho realizado neste estado, desde a fusão entre as cooperativas, em março de 2013”, argumentou o presidente Jaime Basso. No primeiro dia de imersão, com a visita a OCESP – Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo, os líderes tiveram acesso aos números do cooperativismo no estado, A comitiva foi recepcionada por diretores da entidade, entre eles, Américo Utumi. “A OCESP tem desenvolvido um papel importante da organização das cooperativas em São Paulo, e, posso afirmar que entre os ramos que mais crescem, está o crédito”, comenta. Na Bolsa de Valores (BOVESPA), o grupo acompanhou atento a explicações sobre a história e operações da Bolsa. No segundo dia, os associados do Paraná conheceram a estrutura da cooperativa de crédito na região do grande ABCD Paulista e se encontraram com sócios fundadores, da Sicredi regional. Os depoimentos contribuíram para entender melhor essa parte da história. “Na época, nós éramos explorados pelo sistema financeiro tradicional e tínhamos uma necessidade gritante em obter uma alternativa, quando iniciamos a Sicredi”, argumentou o conselheiro e sócio fundador da Sicredi ABCD, César Antonio Garbus. “Fiquei emocionado em observar o entusiasmo com que os associados daqui comentam sobre o início da cooperativa. Sem dúvida foram visionários e, com coragem, iniciaram essa história de sucesso, que é hoje a Sicredi aqui na região”, disse Dorval Conci, líder de núcleo em Maripá PR.

Banner 468x60

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Sicredi participa do 10º Concred.

 Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP

O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 2,6 milhões de associados, participa da 10ª edição do Congresso Brasileiro do Cooperativismo de Crédito (Concred), de 10 a 12 de setembro, em Manaus (AM).
O Sicredi é patrocinador do evento e expositor na feira cooperativista com estande institucional que destacará os diferenciais do seu modelo de governança, reconhecido internacionalmente. “Queremos demonstrar como o nosso modelo de negócio, sólido e sustentável, pode contribuir para o crescimento do cooperativismo no Brasil”, afirma o presidente da SicrediPar e do Conselho do Fundo Garantidor das Cooperativas de Crédito (FGCoop), Manfred Dasenbrock, um dos palestrantes do encontro. O presidente participará dos painéis “Integração do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo: O Melhor Caminho” e “FGCCoop, Sua Composição, Gestão e Estágio Atual”.
O presidente da Sicredi União MS, diretor da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e presidente da Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebras), Celso Ramos Régis, fará a abertura do Concred, na quarta-feira (10). Também participa da programação do evento o painelista Blair D’Avilla, consultor jurídico do Banco Cooperativo Sicredi, com o eixo temático Meios de Pagamentos. Além do presidente da Sicredi Pioneira RS, Márcio Port, que será mediador da palestra “Perspectivas Econômicas Frente ao Novo Governo – com Mara Luquet”, e lançará o livro “Cooperativismo Financeiro: Percurso Histórico, Perspectivas e Desafios”.

Concred Verde – No primeiro dia da programação (10), o congresso promove a terceira edição do prêmio Concred Verde – Práticas de Sustentabilidade: Um Jeito Cooperativo de Mudar o Mundo. O Sicredi participa com três cases “A Sustentabilidade Semeada Pelos Públicos de Relacionamento do Sicredi“, trabalho para engajar os públicos de relacionamento do Sicredi na construção da matriz de materialidade, “Árvore Sicredi“, a estratégia verde adotada no Centro Administrativo Sicredi, em Porto Alegre, e o case “Sicredi Fruto – Educação Financeira e Cooperação em Cena“, que apresenta as peças teatrais desenvolvidas como ferramenta de sensibilização para o valor da cooperação, educação financeira e o consumo consciente.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa com mais de 2,6 milhões de associados e 1.283 pontos de atendimento, em 11 Estados* do País. Organizado em um sistema com padrão operacional único conta com 100 cooperativas de crédito filiadas, distribuídas em quatro Centrais Regionais – acionistas da Sicredi Participações S.A. – uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo que controla uma Corretora de Seguros, uma Administradora de Cartões e uma Administradora de Consórcios. Mais informações no site sicredi.com.br

Banner 468x60

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Consórcio é uma associação de dois ou mais indivíduos,

empresas, organizações ou governos (ou qualquer combinação destas entidades), com o objetivo de participar numa atividade comum ou de partilha de recursos para atingir um objetivo comum. Consórcio é uma palavra latinasignificando "parceria", associação ou sociedade, e deriva de Consors, "parceiro", formada por con-"junto" e sores "destino", significando proprietário de meios ou companheiro.

Consórcio é um termo que comporta várias definições. Incluindo acordos de consórcio em que acionistas de empresas independentes concordam em entregar o controlo das suas ações em troca de certificados de consórcio que os autorizam a participar do lucro comum do dito consórcio. Os participantes de um consórcio são chamados "consorciados". Exemplos de consórcios são os W3C, Airbus (quando foi criado, em 1970) e, em alguns aspectos, o Observatório Europeu do Sul (ESO). Em Direito administrativo um consórcio é uma organização de direito público entre uma ou mais entidades públicas, da administração pública, e um ou mais indivíduos ou organizações de Direito Privado. Um consórcio também pode ser a associação de pessoas físicas e/ou jurídicas num grupo, patrocinado por uma empresa administradora, com o fim de proporcionar aos seus membros a aquisição de bens por meio de autofinanciamento.

Consórcio para compra parcelada
Este consórcio é um sistema de compra parcelada e programada de um bem onde um grupo de participantes organizados por uma empresa administradora rateiam o valor do bem desejado pelo número de meses de parcelamento deste bem. Também é conhecido com uma reunião de pessoas físicas e/ou jurídicas, em grupo fechado, promovido por uma Empresa administradora, com a finalidade de propiciar aos seus integrantes a aquisição de bem ou conjunto de bens por meio de autofinanciamento.

De acordo com a periodicidade definida, o grupo financia a entrega de um número reduzido de bens para um conjunto reduzido de consorciados, chamada de contemplação, através de duas formas distintas: sorteio e lance. No sorteio, um dos consorciados é contemplado a partir de uma escolha aleatória entre os membros do grupo e no lance, os consorciados informam quantias (lances) a serem pagas para conseguir o crédito. O consorciado que tiver o maior lance conquista o crédito devido para a compra do bem. Cabe salientar que uma vez contemplado, seja por meio de sorteio ou por meio de lance, o consorciado não terá mais direito a novas contemplações dentro do mesmo grupo.

Tipos de grupos
Os grupos formados de consorciados podem ser de dois tipos distintos:

Grupo homogêneo.
Quando todos os consorciados tem o interesse em bens do mesmo valor monetário, ou seja, todos os componentes do grupo estão interessados em uma moto da marca X e do modelo Y, por exemplo.

Grupo misto.
Quando os bens de interesse dos consorciados tem valores monetários diferenciados, ou seja, quando existem consorciados que estão contribuindo com o valor de uma moto da marca X e do modelo Y enquanto outros estão contribuindo com o valor de um carro da marca A e do modelo B, por exemplo.

Boa parte dos consórcios estão enquadrados no grupo misto. Neste tipo de formação, a administradora assume riscos em relação as contemplações caso não haja dinheiro suficiente no caixa do grupo para financiar os bens acordados. Contudo é importante salientar que os contratos entre os consorciados e as administradoras variam, mas todos os consórcios são regidos por normas expedidas pelo Banco Central que define o regulamento básico para formação de grupos de consórcio.

O consórcio, por ser baseado em autofinanciamento, acaba sendo uma oportunidade de compra de bem mais barata que financiamento em bancos ou outras instituições financeiras.

Avaliação de consórcios
É importante que você atente para pontos importantes de avaliação nos mais diversos contratos existentes:
As administradoras são obrigadas pelo Banco Central a iniciarem o grupo quando este estiver com mais de 70% de pessoas;
As administradoras devem arcar com os prejuízos caso haja contemplações onde era sabido que não havia dinheiro suficiente em caixa para tal nos grupos;

O consorciado tem direito a mudar o valor do bem desejado a qualquer momento e antes da sua contemplação;
Como a administradora trata a inadimplência no grupo?
Verifique o site do PROCON para saber se a sua administradora de consórcio está envolvida com reclamações de outros consorciados. Avalie estas reclamações e pense se ela merece o seu voto de confiança;
Verifique no site do Banco Central se a administradora de seu interesse está relacionada como uma administradora idônea e sem problemas judiciais que a impeçam de atuar no ramo.

Surgimento do consórcio no Brasil
Em 1962, surge no Brasil o consórcio para a aquisição de veículos, sendo constituído por funcionários do Banco do Brasil. Acompanhando o crescimento da indústria automobilística, o sistema foi se multiplicando com a denominação de "consórcio de veículos", através de entidades e/ou associações de classe. Após estes anos o sistema evoluiu muito, e hoje podemos adquirir cotas de consórcio de vários tipos de bens, tais como: motocicletas, imóveis, aparelhos eletrônicos, tratores, máquinas, automóveis, caminhões, etc.

ReferênciasAssociação Brasileira de Administradoras de Consórcio (20 de junho de 2008). 
Historia do Consorcio Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio. Página visitada em 19 de junho de 2013.

 SicrediI Consórcios - Automóveis
Com pequenas parcelas mensais, você adquire o automóvel que sempre sonhou, pagando menos do que imagina.
São vários planos de diversas marcas, modelos e valores, com a facilidade do pagamento em 60 ou 75 meses.

Com o Sicredi Consórcio Automóveis, você tem mais chances de ser contemplado: através de sorteio, lance fixo e lance livre. E com a carta de crédito, pode escolher a marca, o modelo e o fornecedor do bem novo ou usado (com até 10 anos), nacional ou importado, em qualquer local do país.

Banner 468x60

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Região do Grande ABC.

ABC PaulistaRegião do Grande ABCABC ou ainda ABCD é uma região tradicionalmente industrial do estado de São Paulo, parte da Região Metropolitana de São Paulo, porém com identidade própria. A sigla vem das quatro cidades, que originalmente formavam a região, sendo: Santo André (A), São Bernardo do Campo (B) e São Caetano do Sul (C) - Diadema (D) é às vezes incluída na sigla.
É relativamente comum encontrar também ABCDMRR que também inclui os municípios de Ribeirão Pires, Mauá e Rio Grande da Serra. Essas três cidades possuem nomes de santos, dados em ordem alfabética no ato de suas fundações, devido à influência da religião católica na região, fato este que deu a origem da sigla "ABC" Paulista, a região dos três santos de São Paulo.


Apesar de não contribuírem para a sigla original, também fazem parte da região os municípios de Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Diadema. A Represa Billings banha seis dos sete municípios da região; a exceção é São Caetano do Sul. Os sete municípios somados perfazem uma área de 825 km² e reúnem uma população de mais de 2,5 milhões de habitantes (estimativa do IBGE para 2007).
Em Santo André estão ainda localizados os distritos de Parque Capuava e Paranapiacaba, bem como o subdistrito de Utinga, também chamado de 2º subdistrito. Em São Bernardo do Campo, o distrito de Riacho Grande e o bairro de Rudge Ramos; Os bairros de Piraporinha e de Eldorado, em Diadema. Em Mauá, os bairros de Jardim Zaíra, Sônia Maria, Bairro Capuava, Jardim Guapitubanão constituem legalmente distritos, mas desempenham funções polarizadoras em suas respectivas áreas.
São Caetano do Sul é o município com menor área territorial do Grande ABC, com 15,3 km²; a menor população residente é a de Rio Grande da Serra (42 405 habitantes em 2007). São Bernardo do Campo possui a maior população residente (781 390 habitantes em 2007) e também a maior área (406 km², quase a metade de toda a região).
O acesso da cidade de São Paulo a esta região é feito principalmente pelas rodovias Anchieta e Imigrantes, pelas avenidas Cupecê,Engenheiro Armando de Arruda Pereira, dos Bandeirantes, do Estado, Salim Farah Maluf, Anhaia Melo, Oratório e pelos corredores de trólebus e pelos trens urbanos da CPTM.
A história da região do ABC Paulista começa com sua ocupação pelos indígenas e pelos portugueses que, liderados por Martim Afonso de Sousa e João Ramalho, fundaram em 1553 a vila de Santo André da Borda do Campo, de onde se iniciou a ocupação de todo o planalto paulista e que daria origem, no ano seguinte, à vila de São Paulo de Piratininga, a atual cidade de São Paulo.
O ABC é marcado historicamente por ser o primeiro centro da indústria automobilística brasileira. A região é sede de diversas montadoras, como Mercedes-Benz, Ford, Volkswagen e General Motors, entre outras. No entanto, o setor de serviços também vem crescendo significativamente. Por exemplo, a base das operações, atualmente encerradas, da America Online, no Brasil, ficava em Santo André.
A presença de indústrias desse porte fez com que a região fosse o berço do movimento sindical contemporâneo no Brasil. As greves dos operários foram fortes no final da década de 1970, o que resultaria na fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no início da década seguinte.
Esta força sindical concentrada em uma só região (do ABC) tomou dimensões gigantescas e, mesmo com seu caráter importante para defender os trabalhadores brasileiros, também teve uma contribuição negativa; considerando que muitas plantas de grandes indústrias deixaram de se instalar ou migraram para outras regiões do país. São exemplos: a FIAT em Minas Gerais e a Ford, dentre outras e toda a rede de fornecedores que abastecem estas megaindústrias. Todo este caráter politico-social também se refletiu nas artes e na cultura da região, principalmente no teatro. Grupos e espetáculos foram criados nesta época, refletindo bem sua realidade. Esta crescente manifestação cultural acabou germinando em grupos de teatro que ainda hoje são atuantes.
São Bernardo do Campo a cidade mais rica da região segundo dados do IBGE e com maior população e área territorial, sendo uma das potências do país, a cidade conta com teatros, casas de shows, vários parques e hospitais referencia na região. Na cidade está localizada mais de 70% da represa Billings, uma área no entorno da represa onde se localiza o parque municipal do Estoril que contém mini zoo, parquinhos e vários animais soltos nas árvores como mico-leão, jacaré-de-papo-amarelo e aves em Geral.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.http://pt.wikipedia.org/
Banner 468x60

terça-feira, 22 de julho de 2014

Cooperativas de crédito no Brasil?

No Brasil as cooperativas de crédito são equiparadas às instituição financeira (Lei 4.595/64) e seu funcionamento deve ser autorizado e regulado pelo Banco Central do Brasil. O Cooperativismo possui também legislação própria, a Lei 5.764/71 e a Lei Complementar 130/2009. Da mesma forma que nos bancos, os administradores das cooperativas de crédito estão expostos a Lei dos Crimes Contra o Sistema Financeiro Nacional (Lei 7.492) caso incorram em Má Gestão ou Gestão Temerária de Instituição Financeira.
Cooperativa de Crédito é uma instituição de crédito organizada sob forma de sociedade cooperativa, mantida pelos próprios cooperados, que exercem ao mesmo tempo o papel de donos e usuários. As cooperativas de crédito são eficientes para o fortalecimento da economia, a democratização do crédito e a desconcentração de renda.
Banner 468x60

Cooperativas de Crédito.

Crédito e Cooperativas de Crédito da Região Metropolitana do Estado de São Paulo

EASY CRED FACTORING COMERCIAL
Av Jabaquara, 2940 - cj-122 - Mirandópolis - São Paulo, SP | CEP: 04045-004

CREDITO MUTUO CORRESPONDENTE BANCARIO
R Santa Cruz, 718 - Vila Mariana - São Paulo, SP | CEP: 04122-000

METAL CRED
R Galvão Bueno, 782 - And-7 s-701 - Liberdade - São Paulo, SP | CEP: 01506-000

COOPERSAM
R Cincinato Braga, 59 - And-2 - Bela Vista - São Paulo, SP | CEP: 01333-909

COOPERTEL
Av Paulista, 352 - And-2 cj-21 - Bela Vista - São Paulo, SP | CEP: 01310-905

PROMOCRED
Pc da Liberdade, 130 - And-4 cj-401 - Liberdade - São Paulo, SP | CEP: 01503-010

CREDIFISCO
Av Rangel Pestana, 271 - cj-81 - Bras - São Paulo, SP | CEP: 01017-000

CREFISA CREDITO FINANCIAMENTO
R São Bento, 315 - lj-23 - Centro - São Paulo, SP | CEP: 01011-000

BANCREDI - COOPERATIVA DE CREDITO DOS BANCARIOS SAO PAULO MUNICIPIOS LIMITROFES
R São Bento, 413 - Centro - São Paulo, SP | CEP: 01011-100

COOPERATIVA DE CREDITO MWM
Av das Nações Unidas, 22002 - Vila Almeida - São Paulo, SP | CEP: 04795-915

PIATA CREDITO CONSIGNADO
R Bandeira Paulista, 600 - cj-31 - Itaim Bibi - São Paulo, SP | CEP: 04532-011

CREDICITRUS
Pc Ramos de Azevedo, 206 - And-19 - Centro - São Paulo, SP | CEP: 01037-910

FLEXI CRED
R Conselheiro Crispiniano, 69 - And-7 s-73 - Centro - São Paulo, SP | CEP: 01037-000

CREDIPAULISTA
R Barão de Itapetininga, 93 - And-10 cj-1006 - República - São Paulo, SP | CEP: 01042-000

NBC PROMOTORA CREDITO
R 7 de Abril, 282 - And-6 cj-64 - Parque Primavera - São Paulo, SP | CEP: 04467-285

CENTRAL CRED
R Barão de Itapetininga, 207 - And-3 - República - São Paulo, SP | CEP: 01042-000

CECRES COOPERATIVA ECONOMIA CREDITO MUTUO
Av Ipiranga, 324 - And-3 - Centro - São Paulo, SP | CEP: 01046-010

CECRESP - CENTRAL DE COOPERATIVAS DE CREDITO DO ESTADO SAO PAULO
Pc Alfredo Issa, 48 - cj-184 - Centro - São Paulo, SP | CEP: 01033-902

COOPERMINF - COOPERATIVA CREDITO FUNCIONARIOS MINISTERIO FAZENDA
R Brigadeiro Tobias, 577 - And-4 s-409 - Centro - São Paulo, SP | CEP: 01032-903

DOACYR JOSE CICONE
R Tsutomu Henni, 231 - Vila Jacuí - São Paulo, SP | CEP: 08060-350

COOPMIL DE GUARULHOS
R Dom Pedro II, 300 - And-2 - Centro - Guarulhos, SP | CEP: 07011-003

SICOB - SISTEMAS DE COOPERATIVAS DE CREDITO DO BRASIL
R Felício Marcondes, 240 - Centro - Guarulhos, SP | CEP: 07010-030

COOPERATIVA CREDITO MUTUO EMPRESARIOS MUNICIPIO GUARULHOS
R Luiz Faccini, 445 - s-02 - Centro - Guarulhos, SP | CEP: 07110-000

PANAMERICANO ADMINISTRADORA CARTOES CREDITO
R Domingos Calheiros, 306 - Tucuruvi - São Paulo, SP | CEP: 02303-100

CARREFOUR ADMINISTRADORA DE CARTOES DE CREDITO COMERCIO E PA
Av Transguarulhense, 500 - Jardim Tabatinga - Guarulhos, SP | CEP: 07082-150

UNICRED
Av 9 de Abril, 2068 - tér lj-07 - Centro - Cubatão, SP | CEP: 11510-000

COOPERATIVA CRED MUTUO SERV PUBL OSASCO E R O OZASCRED
R Demetri Sansoud de Lavoud, 40 - Vila Campesina - Osasco, SP | CEP: 06023-030

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MUTUOS DOS COMERCIANTES DO RAMO TEXTEIS
R Martin Afonso, 31 - Centro - Santos, SP | CEP: 11010-061

UNICRED
R João Ramalho, 848 - Centro - São Vicente, SP | CEP: 11310-050

BV FINANCEIRA
R Jacob Emerick, 525 - Centro - São Vicente, SP | CEP: 11310-070

UNICRED
R Doutor Carvalho de Mendonça, 189 - Encruzilhada - Santos, SP | CEP: 11070-100

BV SERVICOS
Av Ana Costa, 222 - And-7 cj-71 - Vila Matias - Santos, SP | CEP: 11060-000

COOPMIL
R Doutor Deodato Wertheimer, 1301 - Centro - Mogi das Cruzes, SP | CEP: 08710-430

CREFISA ADMINISTRADORA ACESSORIA CREDITO
Pc Correa de Melo, 6 - Centro - Santos, SP | CEP: 11013-220

COOPERATIVA ECONOMIA E CREDITO MUTUO FUNCIONARIOS DA ELGIN
Av Vereador Dante Jordão Stoppa, 47 - Cezar Souza - Mogi das Cruzes, SP | CEP: 08820-390

UNICRED
R Montenegro, 295 - And-3 - Vila Maia - Guarujá, SP | CEP: 11410-040

Banco do Povo Crédito Solidário
Av. Industrial, 79 - Jardim Santo André - SP (11) 4979-5219

Crédito A Jato
R. Siqueira Campos, 547 - Centro Santo André - SP (11) 4432-2829

Nova Geração Crédito
Rua Oratório, 1596 - Sala 04 - Parque das Nacões Santo André - SP (11) 3715-7062

BV Financeira
R. Sen. Fláquer, 165 - Centro Santo André - SP (11) 2202-3900

Home Crédito
R. Corrêa Dias, 10 - Centro Santo André - SP (11) 4436-6115

Crefisa
R. Sen. Fláquer, 374 - Centro Santo André - SP (11) 4427-5428

Banco do Povo Crédito Solidário
R. Gerôncio Gregório Silva, 24 - Jardim Sonia Maria Mauá - SP (11) 4549-2088

O Crédito consignado é um empréstimo com pagamento indireto, cujas parcelas são deduzidas diretamente da folha de pagamento da pessoa física. Ele pode ser obtido em bancos ou financeiras, cuja duração não deve ser superior a 72 meses. Os juros e demais encargos variam conforme valor contratado ...

Informações do Banco Central do Brasil.